Mupi Ninguem Fica Para Tras Final A

Opinião

Foi derrubado o desprezo pelo bem-estar e a saúde das populações, foi derrubada a burocracia e todos os entraves que há mais de 30 anos não tiveram outro objetivo se não o convite ao desânimo por “não haver nada a fazer... muito menos contra a poderosa EDP!”

Ontem, dia 18 de agosto, o poste nº 17 foi finalmente derrubado!

autárquicas 2021

A candidatura do Bloco de Esquerda à União de Freguesias de Faro - Sé e São Pedro - apresenta-se como um projeto aberto onde a inclusão, a participação cidadã, e o crescimento sustentável são eixos que norteiam a nossa ação.

autárquicas 2021

A nossa freguesia apesar de funcionar como um dormitório da cidade de Faro, tem centros que mobilizam um enorme volume de pessoas e criam riqueza e emprego, o Aeroporto, a Universidade do Algarve, a praia de Faro e o Hospital das Gambelas. 

autárquicas 2021

O médico Aníbal Coutinho é o escolhido para a Câmara Municipal, e a investigadora Célia Gonçalves, a número um à Assembleia Municipal de Faro.

A concentração convocada pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) e pela união dos Sindicatos do Algarve (CGTP), reuniu várias dezenas de cidadãs e cidadãos, empenhados no apoio à luta da Palestina contra a ocupação ilegítima e ilegal israelita do território palestiniano.

Iniciativa

A Coordenadora Concelhia de Faro do Bloco de Esquerda está ciente da necessidade e da urgência de ouvir, alargar e apresentar propostas encontradas a partir do envolvimento de todos e todas as farenses.

Trabalho

Também no concelho de Faro todos esses efeitos estão presentes. É sintomático o crescimento do desemprego que, no mês de Março deste ano, numa tendência de aumento, foi o maior de sempre nestes dois anos de Covid – 3413 desempregados inscritos no Centro de Emprego. E é sabido que os números oficiais do IEFP são bem abaixo da realidade do desemprego e do subemprego, pois não são contabilizados os trabalhadores em formação profissional, os estágios, os part-times, os inactivos (quem já nem procura trabalho) e os milhares de “informais” (trabalhadores ilegais e clandestinos, sem qualquer vínculo laboral).