ambiente

Ambiente
Junho 27, 2011 12:00 AM

Na próxima sessão da Assembleia Municipal de Faro o Bloco de Esquerda de Faro levará ao plenário uma moção em defesa da Campina de Faro.

Ambiente
Maio 6, 2009 12:00 AM

A Mata de Ludo, também conhecida como zona do Pontal, é uma área terrestre pertencente ao Parque Natural da Ria Formosa (PNRF) criado pelo Decreto-lei 373/87. Consiste duma área de aproximadamente 270 hás., encontra-se ao interior da Área Terrestre de Protecção Parcial designada também como área de Intervenção Específica conforme planos recentes do ICN.

Ambiente
Março 16, 2009 01:00 AM

A deputada Alda Macedo do Bloco de Esquerda questionou, na passada sexta-feira, os Ministros da Economia e do Ambiente sobre este projecto candidato a PIN, rejeitando a possibilidade do Governo passar uma declaração de interesse público a um projecto essencialmente de natureza turística-imobiliária. O Governo deve cumprir os seus compromissos europeus e internacionais para a protecção da Ria Formosa, não permitindo que se continue a retalhar esta área sensível com mais e mais construção em prejuízo do verdadeiro interesse público. 

Ambiente
Março 10, 2009 01:00 AM

Na última sessão da Assembleia Municipal, na semana passada, mais uma vez os factos consumados dominaram as tomadas de decisão. Foi no aumento de capital do MARF. Foi ao ser considerada de interesse público a actividade e a localização da empresa de reciclagem de resíduos urbanos e outros que funciona no Pontal, em plena área do Parque Natural da Ria Formosa (PNRF). Foi até na avaliação de projectos de construção.

Ambiente
Março 10, 2009 01:00 AM

Começo dizendo que julgo ser de todo o interesse a existência de empresas deste tipo. Até para a reciclagem de resíduos de madeira, nomeadamente lenhas da mata do Ludo e do Pontal, e também quaisquer outros resíduos da construção civil. Mas não faz sentido que esteja instalada dentro da zona do Pontal (Quinta da Torre), em pleno domínio do Parque Natural da Ria Formosa (PNRF), em espaço considerado pelo PDM como “espaço natural –área florestal de protecção” e ainda, numa pequena parte, como Rede Natura 2000. Mesmo que esta múltipla anomalia tenha sido, a seu tempo, autorizada.

Ambiente
Setembro 30, 2008 12:00 AM

Neste período inicial de discussão pública do Plano de Estrutura Verde de Faro, o Bloco de Esquerda vem, por este meio, apresentar uma súmula das suas posições. 

Ambiente
Maio 13, 2007 12:00 AM

Na sessão da Assembleia Municipal de Faro realizada no passado dia 8 de Maio, o deputado do Bloco de Esquerda foi o único elemento a votar contra a alteração ao Plano de Pormenor do Parque das Cidades em S. João da Venda. Todas as restantes bancadas partidárias votaram favoravelmente.

Opinião

Neste aspecto devemos lembrar que o Algarve é uma enorme fonte de receitas para o País, e certamente conseguirá verbas para fazer face às hipotéticas despesas, acrescentando que deve surgir uma dinâmica de solidariedade para com as regiões mais desfavorecidas do todo nacional.

A votação do BE no Algarve é a 2ª mais alta do país (12,9%), logo a seguir a Coimbra (13,01%), o distrito da Marisa e do Pureza. Acho que merecemos uma medalha!

Nesse debate é importante afirmar que, perante as chantagens e boicotes da UE, pode ser necessário pôr em causa a permanência na União, e que, para o caso de nos forçarem a saída, ela deve ser desde já estudada e prevista. Como serão os episódios concretos dessa disputa, não sabemos. Até pode acontecer que, no meio de todas as contradições e divergências que hoje grassam na UE, esta se desagregue por si. Mas o que sabemos de certeza, é que se assim for, isso não irá trazer melhorias para os povos, antes os confrontará com novos e maiores ataques austeritários, medidas antidemocráticas e militarismos agressivos.

O QUE FAZ SENTIDO é pegarmos no conhecimento acumulado, na inteligência emocional, nos ares do 25 de Abril e continuarmos a construir juntos uma sociedade melhor para todas e todos nós!

A democracia não é uma casa sólida que habitamos desde o 25 de Abril, a democracia pode ruir a qualquer momento. Cabe-nos continuar a preservá-la, mudá-la e aguentá-la.

Só a construção de um programa mínimo comum para enfrentar a disputa geoestratégica das potências globais poderá trazer ao primeiro plano dessa disputa a acção própria e independente das esquerdas.

Mas, nos dias de hoje, chamar-lhes de centro, só se justifica se virmos a questão apenas pelo lado geométrico e linear.

Lamentável que tantos organizadores, apresentadores, comentadores, tudo tão inteligente, tão in e prá’frentex, tenham olimpicamente ignorado o colonialismo e os crimes israelitas, mesmo nas barbas dos assassinatos que, na fúria do momento, estão despudoradamente a cometer sobre as martirizadas populações aprisionadas na faixa de Gaza. O pacóvio deslumbramento de quem pensa que também é gente só porque, lá de longe em longe, os donos disto tudo lhe dão um ossinho a roer, para que eles possam continuar a abancar-se com o porco do dinheiro e do poder, também ajudou bem a esta cegueira indesculpável.